sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Samson e Kayden Clarke

Este vídeo, onde Samson, um rotweiller, impede o seu dono, um transexual, a auto-flagelar-se correu mundo o ano passado. 
Kayden Clarke, de 24 anos, sofria de síndrome de asperger, um espécie de autismo, stress pós-traumático, depressão, ataques de pânico e ansiedade frequentes. Esta jovem que nasceu mulher mas queria ser homem era ajudada pelo seu cão nos momentos de crise. Ele que impedia que se aleijasse e a conseguia acalma-la, Kayden foi morta a tiro, pela polícia, nos E.U.A., no passado dia 7.
Samson estava preso quando ela tentou suicidar-se. A polícia foi chamada para ajudar a resolver a situação mas, ela, saiu do quarto com uma faca na mão e os polícias, sentindo-se ameaçados. atiraram a matar. Nem o facto de conhecerem os problemas que ela tinha a salvou.
Desta vez Samson não a pode ajudar, estava fechado e ninguém se lembrou de o ir buscar. Acharam que a melhor opção estava em chamar a polícia. Enganaram-se, agora nada há a fazer. 
Os agentes estão suspensos mas ela está morta.
Afinal quem é mais perigoso, o Homem ou um rotweiller? 
Brown Maria

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Amigo de Peso


Já se imaginaram a fazer carinhos a um amigo com 600 quilos? E a receber?

Jimbo, urso pardo do Alasca, com 22 anos,  e Jim Kowalczik são amigos há 20 anos. Jim encontrou-o ferido, quando tinha dois anos de idade e, desde então, são amigos inseparáveis.
Brown Maria

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Os Benefícios de ter um Cão

Sabiam que um cão pode aumentar a  longevidade e que:


 Diminuem o risco de alergias na idade adulta
Um estudo, em 2004,  publicado no The Journal of Allergy and Clinical Immunology descobriu que a exposição a cães na infância diminui a incidência de problemas alérgicos na idade adulta, ao reforçar o sistema imunitário. O estudo chega ainda a concluir que esse benefício pode ainda decorrer durante a gravidez, ou seja, uma mulher grávida em contacto com um cão pode beneficiar a criança na medida em que esta poderá ser menos propensa a problemas alérgicos.


 Aumento da actividade física
Passear o cão, brincar com o cão, correr com o cão são atividades que obrigam ao dispêndio de energia e por conseguinte ao gasto de calorias. Os cães encorajam os donos a fazer exercício. Segundo um estudo de 2006, publicado no American Journal of Preventative Medicine, os donos de cães fazem mais exercício moderado durante uma semana do que quem não tem cão. Em média, os donos de cães gastam 300 minutos por semana, quem não tem não passa dos 168 minutos de caminhada semanal.


Faro detecta cancro
O faro dos cães é tão poderoso que conseguem detectar cancro no ser humano. Não faltam testemunhos de pessoas que foram salvas pelos cães e há cada vez maior evidência científica disso mesmo. Um estudo recente apresentado num congresso da Sociedade de Endocrinologia norte-americana em São Diego, na Califórnia, descobriu que cães treinados conseguem identificar através da urina humana a presença de cancro da tiróide, benigno ou maligno, em 88 por cento dos casos.


Terapeutas silenciosos
Os animais têm sido usados por psiquiatras e psicólogos em sessões de psicoterapia. Inconscientemente, os donos falam para os seus animais como se estes fossem humanos. Podemos descarregar os nossos problemas, medos e preocupações sem ser julgado. Os animais de estimação são sempre bons ouvintes e nunca dão maus concelhos. O Projecto Shiloh em Fairfax na Virgínia, Estados Unidos, junta uma criança “em risco” com um cão sem dono. Estas crianças têm um passado de violência e abusos. Na escola, três vezes por semana, a criança faz equipa com outra criança e um cão. Este programa tem ajudado as crianças a quebrar o ciclo de violência e a ultrapassar o medo.


 Combatem a depressão
O dono de um cão é menos propenso a uma depressão. Um estudo de 2006 da Universidade de Portsmouth revelou que passear um cão diariamente pode afastar os sintomas da depressão e solidão. Segundo a investigação, o exercício contribuiu para uma melhor sensação de bem-estar para além de que o passeio gerou novas conversas e amizades aumentando a sensação de felicidade.


Menos stress no trabalho
 Os cães não só dão conforto em casa como melhoram o seu bem-estar no trabalho. Levar o cão para o emprego pode aumentar a produtividade. Um estudo de 2012, publicado no International Journal of Workplace Health Management, descobriu que quem leva o cão de vez em quando para o trabalho tem menos stress profissional e está mais satisfeito no geral. O stress percecionado era semelhante no início do estudo, mas ao longo do dia este diminuiu no grupo dos trabalhadores que tinham os cães presentes durante o trabalho.


Detectam níveis baixos ou altos de açúcar no sangue
Um estudo de 2013 publicado na revista PLoS ONE descobriu que cães treinados podem detetar e informar os seus donos sobre possíveis baixas ou subidas dos níveis de açúcar no sangue. Não é totalmente conhecido o mecanismo que leva os cães a detetarem essas variações, mas os investigadores suspeitam que na base dessa capacidades esteja o olfato deste animal.


Ajudam a ultrapassar uma doença grave
 Um estudo de 1995 demonstrou que ter um cão tinha um efeito significativo na sobrevivência a um ataque cardíaco. Doentes que entravam no hospital com ataques cardíacos eram seguidos durante um ano. Os investigadores descobriram que os pacientes que estavam vivos um ano depois de sair do hospital tinha grandes probabilidades de ser donos de um cão e que estes
tinham oito vezes mais hipóteses de sobreviver do que os que não tinham este tipo de animal de estimação.




São comunicadores natos e melhoram a saúde geral
Um estudo de 2012 publicado na revista Current Biology descobriu que os cães são capazes de ler a "intenção comunicativa" dos seres humanos. Os animais de estimação estão sempre prontos para correr atrás da bola, dar um passeio ou interagir. Brincar é um processo essencial no crescimento social, intelectual e físico das crianças. Por isso, as pessoas que tem cães ou gatos geralmente apresentam melhor saúde do que aqueles que não têm e foi provado que os que têm animais de estimação visitam menos vezes o médico, de acordo com um estudo de 1990 da Universidade da Califórnia.


Amor incondicional
Os cães são uma óptima companhia. Devotos ao seu dono, os cães podem muitas vezes funcionar como terapia para crianças autistas, como já indicaram vários estudos. Para filhos únicos e crianças solitárias, um animal de estimação é uma mais-valia e ajuda a combater a depressão.

Ter um cão é ter uma vida saudável, um amigo, um companheiro e um vigilante.
Brown Maria